Mauro não pode afirmar em seu horário de propaganda gratuita que senador é réu em corrupção

A defesa do senador comenta que ele “não é réu, mas sim investigado em ação no STF (e que o processo ainda estaria em fase de inquérito)” e que “na declaração de bens do senador, o seu patrimônio era em 2006 R$ 4.394.203,095 e não R$ 681.428,03, o que por si só já torna a propaganda inverídica”.

0 123

 

24 Horas News

líder em todas as pesquisas e muito próximo de garantir sua vitória ao Governo do Estado, já no primeiro turno da eleição, em 7 de outubro, o candidato da coligação “Pra Mudar Mato Grosso”, Mauro Mendes (DEM), está proibido de citar seu adversário, o senador da república, em sua propaganda eleitora. Mauro havia afirmando no seu horário gratuito de rádio e  TV que o senador é ficha suja e que estaria envolvido em corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A proibição foi determinada pelo juiz auxiliar da propaganda eleitoral, Mário Kono de Oliveira, em atendimento a um pedido do senador, que também queria um direito de resposta que, no entanto, não foi concedido.

A defesa do senador comenta que ele “não é réu, mas sim investigado em ação no STF (e que o processo ainda estaria em fase de inquérito)” e que “na declaração de bens do senador, o seu patrimônio era em 2006 R$ 4.394.203,095 e não R$ 681.428,03, o que por si só já torna a propaganda inverídica”.

Fonte: 24Horas News

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.